[RESENHA] Em Um Bosque Muito Escuro, de Ruth Ware

Título: Em Um Bosque Muito Escuro
Autor(a): Ruth Ware
Editora: Rocco // livro cedido em parceria com a editora
Páginas: 288
Gênero: suspense, mistério
adicione ao skoob // compre aqui

Sinopse:
A britânica Ruth Ware alcançou as listas dos mais vendidos do The New York Times, USA Today e Los Angeles Times com este surpreendente romance de estreia que chega ao Brasil pela coleção de suspense Luz Negra. Em um bosque muito escuro é narrado por uma escritora reclusa que aceita o convite para a despedida de solteira de uma amiga de escola com a qual não tinha contato há anos. Quarenta e oito horas depois de chegar ao local da festa, uma casa de campo isolada, ela desperta numa cama de hospital, com a devastadora certeza de que alguém está morto. E mais do que tentar lembrar o que aconteceu no fatídico fim de semana, precisa descobrir o que fez. Com uma atmosfera inquietante, em que segredos do passado são revelados aos poucos e as relações se constroem pelo entrelaçamento de admiração, carinho, inveja e ressentimentos, Ruth Ware entrega um thriller arrebatador, que não à toa a colocou entre os principais nomes do novo suspense feminino, como Paula Hawkins e Gillian Flynn. Em um bosque muito escuro será adaptado para o cinema por Reese Whiterspoon.

Leonora é uma escritora reclusa. O livro se inicia contando um pouco da rotina dela, até que recebe um convite inesperado pra despedida de solteiro de Clare, uma amiga do passado. Após ponderar, Lee (ou Nora) aceita o convite.

O livro é contado em primeira pessoa, e intercala entre a despedida de solteiro, enquanto Nora tenta entender o porquê de ter sido convidada por Clare, já que não conversam há 10 anos, e o que aconteceu depois da despedida, de uma forma bem detalhada.

Quando em uma noite eles ouvem uma batida estranha, passos dentro da casa e pegadas na neve, mesmo tendo fechado a porta, elas ficam assustadas e Flo, uma das amigas de Clare, acaba disparando a espingarda, que era pra estar carregada com bala de festim, mas alguém trocou por balas de verdade. Os acontecimentos a partir daí ficam confusos porque Nora, já no hospital, não se lembra exatamente do que aconteceu depois, o que acaba deixando o leitor naquela expectativa pra entender o que aconteceu e descobrir quem foi atingido pelo tiro da espingarda.

Achei a história bem escrita, mas demorei um pouco pra me prender à história. A personagem principal é cheia de problemas em relação ao passado, e sei que sua obsessão pela Clare foi o modo da autora criar mais suspeitos para o crime, mas me irritou em vários momentos. Apesar de não ter me surpreendido com a reviravolta do final, gostei da explicação e das motivações que levaram ao assassinato, além de não ter nenhuma ponta solta.

A edição da Rocco está maravilhosa e estou morrendo de amores com essa capa. Pra quem gosta de um bom suspense, definitivamente é uma ótima opção, pois os momentos finais em que estão tentando descobrir o culpado me fizeram devorar o livro!

 

QUOTE:

 

“Não sei se você sabe o que é ser escolhida por alguém como Clare. É como se a luz quente de uma lanterna nos selecionasse e nos banhasse com raios de sol.”

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.