A mitologia de King Kong | A Jornada Até Aqui

Uma coisa não podemos negar, King Kong faz parte do imaginário pop desta de anteriores gerações. Com filme lançado em 1933, estrelando a bela Fay Wray como donzela protagonista, King Kong trouxe à tona a questão filosófica de onde começa a civilidade humana e onde começa a nossa bestialidade para com os animais e outros povos diferentes dos nossos.

O filme original foi dirigido e produzido por Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack, e estrelado também por Bruce Cabot e Robert Armstrong. Com produção da Radio Pictures e escrito por James Ashmore Creelman e Ruth Rose a partir de uma ideia concebida por Merian C. Cooper e Edgar Wallace. Em 1991, foi considerado “culturalmente, historicamente e esteticamente significativo” pela Biblioteca do Congresso norte americana e selecionado para preservação no National Film Registry. O filme teve um remakes, um em 1976 e um lançado em 2005 (este último mais fiel ao original de 1933), ambos com o mesmo nome de King Kong. Um reboot, intitulado “Kong: Skull Island, está programado para ser lançado em Março de 2017, cujo trailer recém lançado já está aqui no Spoiler Cultural, confira.

 

SINOPSES  E CURIOSIDADES:

 

kingkon-1933King Kong (1933): Uma equipe de cinema liderada por Carl Denham (Robert Armstrong) viaja para a Ilha da Caveira, acreditada ser apenas uma lenda, e se depara com uma civilização primitiva que oferece mulheres a Kong, um deus-gorila gigante. Quando essa civilização captura Ann Darrow (Fay Wray), a estrela do filme, a equipe de marinheiros, agora liderada pelo valente e apaixonado imediato Jack Driscoll, parte em resgate, enfrentando inúmeros perigos tais como dinossauros e insetos gigantes.

Depois de muitos marinheiros perderem a vida na empreitada, Ann é salva das garras do gorila que, aparentemente, se apaixonou por ela. Tendo os sobreviventes em segurança, Denham faz de tudo para conseguir capturar o macaco e levá-lo para Nova York, onde faria dele sua grande atração: “Kong, a Oitava Maravilha do Mundo”. Eventualmente o monstro escapa e fica solto e furioso no meio da cidade, recapturando Ann e dirigindo-se ao Empire State, para a cena que ficaria imortalizada até hoje, tornando-se um ícone pop. Aviões metralham Kong que cai de cima da torre e morre enquanto Ann vê lá de cima o macaco morrer. Este filme foi lançado e relançado oito vezes entre 1933 e 1952, onde cada relançamento teve cenas acrescentadas, além de gerar, lá em 1933 ainda, uma subtrama intitulada “O Filho de King Kong” onde os homens que capturaram King Kong voltam a ilha da Caveira, e encontram seu descendente, com quem acabam fazendo amizade.

 

kingkon-1976King Kong (1976): Diferente do original de 1933, neste o gigantesco gorila é encontrado pela tripulação do navio de uma companhia petrolífera, mas o costume de uma tribo local de oferecer mulheres em sacrifíco ao gorila se mantém. Os tripulantes salvam Dwan (Jessica Lange), uma sobrevivente de um naufrágio, prendem o gorila, e o levam para ser exposto em um espetáculo em Nova Iorque. Porém, ao chegar em território americano, o gorila se mostra cada vez mais agressivo e escapa, provocando terror e pânico na cidade, acabando por subir nas Torres Gêmeas com Dwan, por quem havia se afeiçoado. Notem que nesta adaptação de 1976, Kong não captura Dwan na ilha, apenas quando já na cidade de Nova Iorque. O filme trouxe no também no elenco Jeff Bridges e Charles Grodin, sendo este o primeiro filme de Jessica Lange. Inicialmente, o personagem “King Kong” seria um gorila mecânico construído por Carlo Rambaldi; porém, como esta construção sairia cara, o maquiador Rick Baker fez uma roupa de gorila para o personagem, que saiu muito mais barata, e foi o próprio Baker quem a vestiu durante as filmagens. Foi um tremendo sucesso e eu, que sou nascido em 1981 me recordo de tarde e mais tardes inteiras esperando a hora de ver o Gorilão na “Sessão da Tarde”. Este filme rendeu algumas continuações vexatórias como “King Kong 2”, de 1986, além de proporcionar alguns encontros entre King Kong e Godzilla em alguns filmes do monstro marinho.

 

kingkon-2005King Kong (2005): Este, já mais fiel ao original de 1933, se passa neste mesmo ano e nele temos Ann Darrow (Naomi Watts), uma atriz de Vaudeville, que enfrenta dificuldades para se sustentar, como vários outros americanos durante a Grande Depressão. Ela caminha pelas ruas de Manhattan pensando na possibilidade de trabalhar em um cabaré, até que a fome a faz roubar uma maçã. Ann é salva pelo cineasta Carl Denham (Jack Black), que oferece a ela o papel principal em sua próxima produção. Inicialmente indecisa, Ann aceita a oferta após saber que o roteirista é o conceituado dramaturgo Jack Driscoll (Adrien Brody), do qual ela é fã. Na verdade Carl está em apuros, já que o patrocínio para concluir seu filme inacabado foi cancelado e sua antiga atriz principal abandonou o projeto. Apesar dos problemas, Carl embarca a equipe e o elenco de seu filme no cargueiro fretado S.S. Venture. O objetivo da viagem é chegar na Ilha da Caveira, que tem a fama de abrigar uma raça perdida e várias criaturas consideradas extintas. No final do filme, o grande gorila sobe no edifício Empire State Building, e em uma das cenas mais marcantes e produzidas do cinema, King Kong cai lá de cima impressionando a todos. Este filme, que traz Peter Jackson como diretor, foi um esplendoroso remake de King Kong, de 1933, deixando de lado tudo de errado que vimos no King Kong de 1976, trazendo para as telonas um Kong mais crível e utilizando ao máximo a tecnologia até então.

 

kingkon-2017Kong: Skull Island (previsão para 03/2017)Com efeitos visuais de encher os olhos, King Kong de 2005 é filme obrigatório se pretende assistir a “Kong: Skull Island”, não por questão de história, pois não é uma sequência, mas sim pela climatização para entender melhor o que é Ilha da Caveira e que povo nativo é esse, pois isto estará sendo retratado, além, é claro, entender melhor quem é King Kong. Este será um filme do gênero de horror e ficção científica que terá na direção Jordan Vogt-Roberts. O filme é um reboot da franquia franquia “King Kong” e serve como segundo filme da franquia da Legendary; Godzila-Kong (que levará a um crossover entre eles em 2020). Possui um elenco estrelado por Tom Hiddleston, Samuel L. Jackson, Brie Larson, Jason Mitchell, Corey Hawkins, Toby Kebbell, Tom Wilkinson, Thomas Mann, Terry Notário, John Goodman e John C. Reilly. As filmagens começaram em 19 de Outubro de 2015 no Hawaii e o filme tem previsão de lançamento para o dia 9 de Março de 2017, no Brasil, e 10 de Março de 2017 nos Estados Unidos. Isso mesmo, um dia antes pretendem lançar o filme aqui, em terras tupiniquins (aqui é BR, Pô!).

 

Ansiosos por Kong: Skull Island? Pois é, eu também!

Deixem suas opiniões logo abaixo dizendo o que esperam de “Kong: Skull Island” e o que acharam do novo trailer deste que promete ser um novo sucesso para o Macacão mais carismático do cinema pop.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.