Dia Nacional dos Animais | Como eles ajudam as crianças a enfrentar a dor da perda

Aprender a lidar com sentimentos, sejam eles bons, ou ruins, é natural do ser humano. Desde cedo, crianças são estimuladas a enfrentar seus medos e dificuldades, porém mesmo sabendo que a morte é a única certeza da vida, ninguém é preparado para lidar com ela, até que a mesma aconteça. A solução para um conflito que parece ser impossível de se explicar aos pequenos, pode estar dentro de casa: o animal de estimação.

REVEJA: Sempre Haverá Você | Premiada Heather Butler carrega uma importante lição sobre perda e culpa

A pesquisa científica sobre os efeitos terapêuticos da relação entre seres humanos e animais de estimação começou nos Estados Unidos em meados da década de 60. Após anos de observação, os benefícios dessa integração ficam cada vez mais claros.

O Grupo de Estudos sobre a Interação Humano e Animal (GE-INTERHA), é um dos responsáveis no Brasil, por fomentar pesquisas sobre a importância dos bichinhos para a qualidade de vida das pessoas.

A convivência com os animais, segundo pesquisadores, promove a sensação de felicidade e bem-estar e ajuda a desenvolver melhoras sociais, emocionais, físicas e cognitivas, prevenindo em casos como a morte de um familiar, que crianças e adultos desenvolvam doenças como síndrome do pânico e depressão.

Um livro publicado a pouco aqui no Brasil, Sempre Haverá Você, vencedor e indicado para importantes prêmios no Reino Unido, mostra de forma leve como a perda e o sentimento de culpa podem complicar o mundo em construção das crianças, e como o convívio com um animal de estimação pode ser um forte aliado na superação desse trauma.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.